sábado, 28 de setembro de 2019

A PITANGA-DO-CERRADO (Eugenia pitanga, Kiaersk.)

É notável a quantidade de espécies frutíferas na família das mirtáceas no Brasil, algumas com características próprias para cultivo em pequenos espaços e vasos. Uma dessas espécies é a PITANGA-DO-CERRADO (Eugenia pitanga, Kiaersk.)



É difícil escolhermos a nossa planta preferida pois todas, sem exceções, apresentam o seu momento de auge de beleza em florações e frutificações que impressionam. Mas temos que admitir que algumas espécies por determinada característica não há como passar despercebida, uma dessas plantas é a PITANGA-DO-CERRADO (Eugenia pitanga, Kiaersk.) da família das mirtáceas. 


Esse arbusto rizomatoso de até 2 metros de altura é encontrado em estado nativo nos cerrados e campos dos estados de Minas Gerais, São Paulo e Mato Grosso do Sul. Essa frutífera chama a atenção pela sua incrível precocidade na produção de frutos, plantinhas de apenas 15 cm. florescem abundantemente em pequenas embalagens e mais surpreendente ainda é que seguram as frutificações.




Essa precocidade da espécie a torna uma excelente opção para cultivo em pequenos espaços e também em vasos desde que mantida em locais ensolarados para que produza frutos mais coloridos e com polpa mais adocicada. Em locais mais sombreados produz frutos menos saborosos mas a planta se desenvolve sem problemas.


Os frutos da Pitanga-do-Cerrado são graúdos, vistosos e com polpa suculenta com sabor doce-acidulado e como nas pitangas tradicionais pode variar na coloração, desde vermelho-vivo, roxo-escuro ou alaranjados. O formato e tamanho das folhas também variam entre as plantas.


Quando cultivada em vasos podemos utilizar os mais diversos modelos desde maiores até mesmo bem pequenos e mesmo assim frutificará normalmente. Quando plantada ao solo resulta num pequeno arbusto de formato compacto cujo porte pode variar de 1.5 a 2 metros desenvolvendo nos mais variados tipos de solos mas preferencialmente a pleno sol. 



DICAS DE CULTIVO :

Luz : Cultivar preferenciamente a pleno sol.
Solos : Pode ser cultivada nos mais variados tipos de solos : arenosos, areno-argilosos e ricos em matéria orgânica. Em solos mais pobres mantém o porte menor ainda.
Usos : Frutos para consumo ao natural, sucos, geléias e licores.
Origem : Regiões de cerrados e campos de Minas Gerais , São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Texto e Fotos : LUIS BACHER

Onde encontrar mudas : 

DIERBERGER PLANTAS LTDA.
Fazenda Citra - Limeira - SP.
CEASA Campinas - Mercado de Flores - Box R-14
Mercado de Flores CEAFLOR - Box E-33 / 34 - Jaguariuna - SP.
Tel. (19) 3451-1221 Whatsapp (19) 99409-4072
www.fazendacitra.com.br













sábado, 18 de maio de 2019

A PETRÉIA-GIGANTE (Petrea racemosa,Nees)

A família das verbenáceas reúne cerca de 32 gêneros e 480 espécies distribuidas pelas regiões tropicais ao redor do mundo. O Brasil é quem reúne a maior quantidade de representantes dessa família contando com 16 gêneros e 290 espécies das quais 191 são endêmicas do nosso país.  A planta que estamos abordando nessa postagem pertence a essa família e é do gênero Petrea o qual recebeu esse nome em homenagem a Robert James Petre , colecionador e botânico de origem inglesa do século XVIII . Esse gênero botânico reúne trepadeiras, arbustos e árvores, alguns com floradas impressionantes. A que chamamos aqui na nossa coleção de PETRÉIA-GIGANTE (Petrea racemosa, Nees ) é uma das mais vistosas que se conhece, mas é inevitável, temos que fazer referência a essa espécie como se fosse uma "Flor-de-São Miguel Gigante".

                                                          Petrea racemosa, Nees 

É uma trepadeira lenhosa com ramos curvados e com folhas bastante ásperas lembrando muito a nossa tão conhecida Viuvinha ou Flor-de-São Miguel. Produz grande quantidade de inflorescências longas que chegam a 30 cm. e  reunem grande quantidade de flores estreladas de coloração azul-arroxeada as quais surgem durante o inverno e primavera. Vale lembrar que tantos as flores como as folhas nessa espécie são bem maiores se comparadas com a Petrea volubilis .  Normalmente a Petréia-Gigante é cultivada como trepadeira sendo amparada em suportes resistentes servindo também para revestir grades, pérgolas, cercas e alambrados. Devido aos seus ramos serem de consistência bastante lenhosa também pode ser mantida como arbusto através de podas periódicas. 


Nos Estados Unidos e Austrália recebe outros nomes populares : Grinalda-da-Rainha, Lixa-de-Videira, Coroa-de-Flores e Glicinia-Tropical . É originária do México e partes da América Central.


DICAS DE CULTIVO :

Luz : Apesar de se desenvolver também em locais sombreados quando cultivada a pleno sol adquire um aspecto mais compacto e produz flores mais coloridas.
Solos : Os mais indicados são os ricos em matéria orgânica e descompactados . Fazer covas bem espaçosas, no mínimo com 40 cm. de diâmetro por 40 cm. de profundidade adicionando preferencialmente adubos orgânicos.
Origem : México e partes da América Central.


Texto e Fotos :  LUIS BACHER

Onde encontrar mudas :

DIERBERGER PLANTAS LTDA.
Fazenda Citra - Limeira - SP.
CEASA Campinas - Mercado de Flores - Box R-14
Tel. (19) 3451-1221   Whatsapp (19) 99409-4072
www.fazendacitra.com.br